Corpo Pimenta

Dúvidas? envie um email para
samanta@corpopimenta.art.br

O encontro do corpo e da pimenta

Sinto calor. De dentro pra fora meu corpo parece estar sendo tingido de vermelho. Transpiro. Sinto a temperatura do ar. Quando entra é gelado; quando sai é quente. Sai quente do meu calor. É como se o calor que estava em mim fosse acordado, estimulado. É meu. Vem de dentro pra fora. Água não resolve. Água parece ser pouco.

Meu suor é tanto que começo a me sentir mais limpa. Mais disponível, com mais espaço a ser preenchido.

É afrodisíaca a sensação. O afrodisíaco que cria. Energia que cria.

Arde, um ardor que transborda nos olhos. O corpo que sai pra fora. Sim, sai pra fora. E não dá pra esconder. É visível, alguma coisa dentro de mim está acontecendo, e todos estão vendo.

Pimenta é metáfora da arte. O que a pimenta provoca no corpo é o mesmo que faz a arte. Quando como arte meu calor é estimulado, meu corpo dá sinais de vida e se comunica com o mundo. Pimenta é função da arte e modo de fazer arte. Pimenta é estímulo de discussões e estímulo do corpo. Artes que se fazem do corpo se alimentam de pimenta e oferecem calor.

Arte arde. Arde no artista, arde em quem toca. E pode ser de uma ardência incrivelmente sutil.

Novidades
Filtrar conteúdo por

Fotos

/ 09.03.2013 / Samanta Roque

Trilogia Notturna

  Do caos interior ao universo onírico. Três cenas de 20 minutos cada. Como num livro de contos, cada cena,...
/ 27.02.2013 / Samanta Roque
  Do caos interior ao universo onírico. Três cenas de 20 minutos cada. Como num livro de contos, cada cena,...

Trilogia Notturna

“Trilogia Notturna” – Progetto finale Master di Samanta Roque Dal caos interiore all’universo...
/ 23.01.2013 / Samanta Roque
“Trilogia Notturna” – Progetto finale Master di Samanta Roque Dal caos interiore all’universo...

Anotações sobre o peso e a dança

“Uma crença como uma guilhotina, tão pesada, tão leve”. Franz Kafka Às vezes esquecemos com um pouco de facilidade a...
/ 24.11.2012 / Tomaz Amorim
“Uma crença como uma guilhotina, tão pesada, tão leve”. Franz Kafka Às vezes esquecemos com um pouco de facilidade a...

Estudos em visibilidade

Charlie Chaplin vem ao meu socorro. Luzes da cidade
/ 25.10.2012 / Samanta Roque
Charlie Chaplin vem ao meu socorro. Luzes da cidade

Estudos de figurino

Camila Regis está desenvolvendo estudos de figurino. As idéias seguem as propostas de Ernesto Neto, artista plástico...
/ 21.10.2012 / Samanta Roque
Camila Regis está desenvolvendo estudos de figurino. As idéias seguem as propostas de Ernesto Neto, artista plástico...
Galeria multimídia
Bibliografia

Entre e fique à vontade.

Livros para pesquisa, livros para saborear, livros que inspiram, livros que ajudam, livros que explicam, livros que nos fazem mais confusos. É pra isso que proponho uma bibliografia: abrir caminhos tendo assim possibilidades de escolher onde e como ir.

oulipo

Oulipo

Warren F. Motte Jr.

Um coleção notável de escritos dos membros do grupo chamado Oulipo. Esta antologia inclui Italo Calvino, Harry Mathews, Georges Perec, Jacques Roubad, and Raymond Queneau. Ao contrário de inspiração, ao contrário de experiência, ao contrário de auto-espressão, os “oulipanos” acreditam na escrita imaginativa como um exercício dominado pelo método de restrições.

Link do livro
valerie_booksPointdep

Point of departure: the dancer´s space

Valerie Preston Dunlop

Esse texto explica o conteúdo das escalas e dos anéis de laban e sugere modos de utilizar-los ao invés de olhar-los como se fossem  uma forma fixa.

Link do livro
valerie_booksDanceisaLanguageIsntit

Dance is a Language, isn’t it?

Valerie Preston Dunlop

Este é um texto informal que se utiliza de um formato não usual para ajudar a fazer a ligação entre teoria e prática e reflete um discurso de um tempo onde se questionava se dança é uma linguagem ou não. O livro introduz o modelo estrutural do movimento conhecido como “estrela” que depois vira o ponto de partida para estudos coreológicos.

Link do livro
performingintroduction

Performances Studies. An introduction.

Richard Schechner

Richard Schechener é um pioneiro em estudos da performance. Ele é professor universitário de estudos da performance na Tisch School of the Arts, em Nova Iorque e editor do TDR: The Journal of Performance Studies

Link do livro
105646189

Liminal Acts

Susan Broadhurst

O termo liminal se refere à um espaço marginalizado de caos fértil e potencial criativo onde nada é fixo ou certo. Liminal performance é um genêro emergente que está situado somente no tempo atual e descreve  uma série de performances interdisciplinares que parecem priorizar o corpo.

Link do livro
Seis propostas para o próximo milênio

Seis Propostas para o próximo milênio.

Italo Calvino

Declaração de ética, mais que de poética, as conferências que Calvino preparou para a Universidade Harvard representam o testamento artístico de um dos protagonistas literários do fim de milênio.

Link do livro
Quem somos

A idéia desse site é me ajudar a pensar. Me ajudar a pensar em contato e colaboração com o mundo. Pensar, praticar e comunicar.(Queria achar uma só palavra que não separasse todas essas idéias!) Faço mestrado em artes, em teatro físico, e a proposta aqui é não só publicizar, no sentindo de tornar público o que tenho feito e o que se faz nesse curso, mas trocar e compartilhar processos, pensamentos e desejos. É uma ferramenta de suporte ao curso que faço, assim como  um meio de comunicação, e de conhecimento em si.

Sou brasileira, de São Paulo, capital. Quando cursei graduação me mudei pra Campinas, interior de São Paulo. Desde então arrumo as malas com frequência. Vivi em Londres por um ano e agora desenvolvo o projeto de mestrado numa escola na Suíça Italiana, em Verscio, especificamente. A internet tem sido, então, um lugar contínuo, algo que permanece no meio das mudanças, e por isso, tem um papel importante nesse projeto, nesse momento de distâncias e encontros: manter a comunicação viva e o conhecimento circulando.

Se compartilhará aqui um processo de aprendizagem  sem a pretensão de substituição da presença humana. Afinal a cena,  o teatro, a dança, pedem para ser vistos a olho nu.  Ficaremos aqui alimentando a vontade de apreciar e fazer arte. Ficaremos aqui cozinhando juntos. Temperando com mais ou  menos pimenta. E então para a ceia, ou o almoço, são todos muito bem vindos. Bem vindos a olho nu.

Participantes

Samanta Roque
Nasceu na cidade de São Paulo, Brasil em 1985. Iniciou seus estudos profissionais em dança em 2004 quando ingressou na Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP (2004-2008). De 2007 a 2010 trabalhou como bailarina na Caleidos Cia. de Dança, em São Paulo, sob direção de Isabel Marques e Fábio Brazil, em 5 produções diversas. É instrutora de matpilates certificada pela PhysicalMind Institute, além de ter estudado studio pilates pela Stott Pilates. Atua também na área de educação em arte (especialmente artes cênicas) onde tem como principais experiências profissionais o trabalho como professora de dança de crianças  de 9 a 12 anos, e com grupo de adultos com mais de 35 anos na escola municipal de dança contemporânea de Santo André, São Paulo, além de parcerias com o Instituto Caleidos, em São Paulo. Em 2010 é aceita na TrinityLaban School of Music and Dance em Londres Inglaterra, onde estuda especialmente coreologia. Em 2011 é aceita na Scuola Teatro Dimitri, na Suíça,  para cursar um mestrado em Teatro Físico, onde agora desenvolve seu próprio projeto. Em 2012 recebe uma bolsa de estudos da Pierino Ambrosoli Foundation, fundação Suíça que apoia jovens que estudam dança para completar seus estudos de mestrado.

 

Tomaz Amorim Izabel
Nasceu na cidade paulista de Poá, onde viveu até seus 18 anos, quando se mudou para Campinas. Cursou Estudos Literários na Unicamp, onde ainda hoje é aluno de mestrado. Entre 2010 e 2011 morou por um ano na cidade alemã de Colônia e foi voluntário por um mês na Cisjordânia. É poeta e tradutor e publica seus trabalhos em um blog. Já nos arredores dos 25 anos, quer aplicar seus estudos de cultura e literatura na experimentação com outras áreas, artes e ares

 

 

 

 Cecília Pimenta
Formada em Teatro pelo Instituto de Arte e Ciência e Letras pela Universidade de São Paulo. Participou da Cia de Teatro Retratos entre 2005 e 2007, período em que trabalhou também como dubladora na cidade de São Paulo. Em busca de novas linguagens teatrais, em 2011 completou a pós-graduação em Teatro e Performance – Metodologia Lecoq na Escola Internacional de Artes Performáticas de Londres, sob direção de Thomas Prattki, onde iniciou seu trabalho como diretora. De volta ao Brasil, dirigiu a peça Risco para o festival Satyrianas e colaborou como dramaturga do movimento no espetáculo Pinoquianas, dirigido por Susana Yamauchi, em temporada no Teatro Municipal de São Paulo.

 

 

Instituções Apoiadoras

 

A realização de pesquisa é importante em qualquer área do conhecimento. O investimento no pesquisador se faz absolutamente necessário para o desenvolvimento do saber. No campo artístico, especialmente no que diz respeito às artes performáticas, o pesquisador/artista realiza sua pesquisa utilizando-se de si mesmo como instrumento e como obra a ser oferecida e compartilhada com o público (e por público entende-se não apenas o público de teatro, mas público em respeito ao aspecto social, político, ao “o” que é público).

O apoio de instituições que acreditam em arte, que acreditam em pesquisa e que acreditam em criação faz com que sonhos se tornem acessíveis. Este projeto (artístico e pessoal) recebe apoio de duas instituições Suíças: Scuola Teatro Dimitri e Pierino Ambrosoli Foundation.

 

http://www.teatrodimitri.ch/scuola/?lang=it
http://www.ambrosoli.org/